sexta-feira, 1 de junho de 2012

Desmistificando o Morcego

De Cícero Lajes: Devido principalmente a atuação dos cinemas e novelas (Conde Drácula, Vampi, O Beijo do Vampiro...), o imaginário social faz com que muitas pessoa costumam achar que todos os morcegos se alimentam de sangue. No entanto boa parte das espécies são herbívoros e têm um papel tão importante para a reprodução das plantas quanto algumas aves e insetos. No Nordeste eles acabam sendo perseguidos devido a transmissão da raiva para cabras, ovelhas, jumentos e gado através da saliva que ele deposita ao sugar o sangue deles, como as pessoas não conseguem identificar as espécies, acabam eliminando todas que encontram. Acompanhe abaixo!

Por Juliana Tinoco
Os morcegos são responsáveis pela polinização de 13% das espécies deplantas da caatinga analisadas no estudo. (Reprodução / Taxon )

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) traz à tona um novo olhar sobre a caatinga. A fama de pouco rica e diversificada, graças ao clima semi-árido, à falta de chuvas e aos rios quase sempre secos, foi desmistificada pelas suas plantas. A pesquisa, que analisou os tipos de polinização presentes na região, provou que a caatinga é um ecossistema com alto índice de biodiversidade e profundas interações entre fauna e flora. O resultado ressalta a necessidade de sua proteção. 

A botânica Isabel Cristina Machado, especialista em polinização em diversos ecossistemas e coordenadora do estudo, pesquisou durante dez anos 147 espécies deplantas de três municípios pernambucanos atrás de respostas sobre esses processos na caatinga. Por meio da avaliação de forma, tamanho, cor e presença de néctar e pólendas flores, foi possível indicar as síndromes de polinização de cada uma, ou seja, quais características se relacionam com qual tipo de polinizador. 

“Mais de 50% daplantas da caatinga são fecundadas graças ao auxílio de algum animal. Ao contrário da expectativa, um número muito inferior produz frutos e sementes a partir de autofecundação”, diz Machado. “Isso significa que o grau de dependência é muito grande.” O estudo levou à conclusão de que as plantas da caatinga apresentam características semelhantes às dos ecossistemas úmidos. “As freqüências dos diversos vetores de polinização são similares nos vários ecossistemas, apesar das diferenças climáticas”, explica. 


Machado percebeu uma incidência alta de polinização por beija-flores, abelhas e morcegos. Os primeiros são responsáveis por 15% do total e os segundos por 42%, números semelhantes aos encontrados em florestas úmidas. “13% das espécies analisadas possuem atributos de plantas polinizadas por morcegos, enquanto o percentual encontrado em outros ecossistemas é de 2 ou 3%”, revela a pesquisadora. As hipóteses para explicar esse fato vão desde a grande presença de cactos nacaatinga, família com várias espécies comumente polinizadas por morcegos, até a existência de muitas cavernas, habitat preferido do mamífero voador...



Juliana Tinoco Ciência Hoje On-line 05/10/2006

Nenhum comentário:

Postar um comentário