segunda-feira, 12 de agosto de 2013

JORNAL DE HOJE TAMBÉM NOTICIOU O I OFF-ROAD FOTOGRÁFICO - PARTICIPAÇÃO DOS TRILHEIROS DA CAATINGA

 Fotógrafos Potiguares desbravam o Pico do Cabugi
Um grupo com quinze fotógrafos de Natal participaram no último sábado (10), do “I Off-road fotográfico no Pico do Cabugi”. O grupo subiu a serra, dormiu no cume e voltou no domingo (11). A iniciativa foi do repórter fotográfico Canindé Soares que conseguiu apoio da Policia Ambiental, de guias para acompanhar a trilha e da TV Assembleia (Repórter Ítalo Amorim, cinegrafistas Aldair Dantas e Emerson Carlos), que exibirá um documentário sobre o evento. Participaram também da aventura Haroldo Mota da Organização Não Governamental (ONG) Baobá que reuniu um grupo com dezoito ciclistas que fizeram a escalada mas não dormiram no cume e voltaram no mesmo dia. Antes de iniciar a trilha o grupo recebeu informações do guia Leandro Souza, da Ong Trilhas da Caatinga, responsável em conduzir o pessoal até o pico. O briefing foi sobre conservação e educação ambiental, além de primeiros socorros, já que a localidade tem um grande número de insetos peçonhentos e incidência de picadas de cobra. Outra orientação é que todo o lixo produzido não poderia ficar dentro da reserva do Parque Ecológico Estadual do Cabugi , ao qual o pico pertence e está localizado no município de Angicos, RN. Três etapas esperavam pelos trilheiros até chegar ao cume. A trilha de aproximadamente 2,5 quilômetros até o chegar ao cume do pico, com 590 metros de altitude, teve como tempo gasto 3 horas e 30 minutos, tudo sob acompanhado de quatro guias e da Polícia Ambiental. Confira os depoimentos de alguns dos envolvidos no projeto:

Leandro Souza, guia
“A procura pelas trilha ocorre durante todo o ano, por parte das universidades, escolas públicas, fotógrafos, jornalista e empresas que vem treinar seus funcionários ou mesmo fazer a trilha por lazer, além do pessoal da comunidade que vem para tirar o estresse da semana.A Associação Trilheiros da Caatinga é uma instituição que foi criada com intuito de promover o turismo de forma sustentável na cidade de Lajes RN, no ano de 2009. Foi criada inicialmente apenas para atender a comunidade local e amigos que queriam se livrar do estresse semanal. Com a criação de um Blog para divulgar nossas atividades, começou gerar demanda e hoje temos atividades na trilha do pico todos os finais de semana como prática do ecoturismo. O Cabugi ao ver da BR 304 é uma caixinha de surpresa. 

Para realizar a subida tem três pontos: o primeiro é o desgaste físico que precisa de uma parada de 20 minutos para recuperar as energias. O segundo o fator psicológico: principalmente para as pessoas que tem medo de altura ou alguma outra fobia. O terceiro é vencer a pedreira que está pelo caminho, que não pode subir de qualquer forma. A orientação é que subam em zig zag, pois se rolar alguma pedra não atingirá ninguém. Já ocorreram alguns acidentes fatais no pico e pessoas que se perderam e tiveram que ser resgatados, por isso não é recomendado subir sem a orientação dos guias”.

Valter Soares: trilheiro, fotógrafo, funcionário público
“Recebi o convite através do twitter de Canindé Soares. Como gosto de fazer trilha e de fotografia aceitei o desafio e trouxe comigo mais dois amigos, João Carlos e Jean Marcelo. “Considerei a trilha difícil, mais achei extremamente necessária o acompanhamento dos guias habilitados e com experiência no percurso. Em alguns trechos há risco de pedras rolarem, o trabalho deles é de suma importância, abrem caminhos e tranquilizam o pessoal, além de acompanhar a descida. No sentido do esporte a questão da saúde, você está caminhando em contato com a natureza. Como ser humano sair um pouco do concreto, sair do estresse diário. O significado maior é que ontem foi o meu primeiro dia dos pais. Dormir lá em cima com frio abaixo de 16° não foi fácil, passei a noite pensando no meu filho e pela manhã fiquei ansioso para voltar para casa e abraçar ele”.

Haroldo Mota, da (ONG) Baobá, que reuniu um grupo com dezoito ciclistas que fizeram a escalada mas não dormiram no cume: 
“Atendemos o convite de Canindé Soares, viemos de Natal pedalando para fazer a escalada do pico. Foi maravilhoso conhecer esta beleza do nosso Estado. Confesso que foi muito difícil, mas nós, ciclistas, temos preparo e com auxílio dos guias ficou fácil”.

Elias Medeiros, fotógrafo
“A primeira visão achei que fosse fácil encarar a trilha, mais não foi nada fácil. As paradas foram fundamentais para descansar e bater papo com os amigos, e através de brincadeiras vencer o psicológico. A parte mais difícil foi a escalada final para chegar ao cume e dormir com menos de 16 graus em cima de pedregulhos. Até que a noite passou rápido, quase não dormimos, mas anedotas e brincadeiras aceleram a noite. O que levo da experiência são novas amizades e as belas imagens de mais uma referência turística do nosso Estado.

Canindé Soares, fotógrafo e idealizador do evento
“Sempre tive uma ideia de fazer um evento de aventura. Já havia feito uma maratona fotográfica há cerca de 10 anos, foi bacana mais não foi tanta aventura como essa ao pico. O mais importante disso é esta parada para se confraternizar com amigos, trocar ideia e aprender com outros profissionais, já que vivemos numa correria louca e não temos tempo para parar dificultar o encontro entre nós. Este Rally Fotográfico é para todos praticarem o seu ofício, além de valorizar as belezas do nosso Estado. Ao invés de viajar para Europa nós viajamos sempre em busca das belezas que existe dentro do nosso país. Daqui vão sair imagens que vão ganhar o mundo e as pessoas de nossa cidade vão se sentir encorajados a vir conhecer o lugar”.


Texto e foto: Elias Medeiros - www.eliasjornalista.com
Texto editado por Cícero Lajes para o Blog Trilheiros da Caatinga

Nenhum comentário:

Postar um comentário