segunda-feira, 4 de novembro de 2013

ENCONTRO COM UMA CASCAVEL - TRILHEIROS DA CAATINGA, GRUPO ONÇA PINTADA, FAZENDA SANTA ROSA, LAJES RN

Cícero Lajes - Neste domingo, 03 de novembro de 2013, os Trilheiros da Caatinga estiveram com o Grupo Onça Pintada, de Parnamirim. Fomos à Serra do Feiticeiro, Pinturas rupestres da Fazenda Santa Rosa e no Túnel da ferrovia abandonada na Fazenda Araras.
Na fazenda Santa Rosa eu realizei dois sonhos ao mesmo tempo: conhecer as pinturas rupestres daquele local e ver uma Cascavel em seu habitat natural. O encontro se deu quando o biólogo Francisco, perseguia um lagarto para fazer fotos e deparou-se com a cascavel descansando em uma loca, provavelmente fazendo a digestão já que estava muito dócil e em nenhum momento proferiu o bote. O biólogo com a ajuda de seu irmão retirou o animal da loca e pôs na areia do rio para fotografá-la melhor, já que encontros como este é difícil; logo após as fotos o animal seguiu seu caminho entrou em outra loca, depois que voltamos ela ainda estava lá. O biólogo Francisco estava emocionado pois a devastação da natureza está fazendo animais como este ficar cada vez mais raro, chamando o evento de um "presente da natureza".
Jota Rodrigues: "Cascavel é o nome genérico dado às cobras venenosas dos gêneros Crotalus e Sistruros. As cascavéis possuem um chocalho característico na cauda, e estão presentes em todo o continente americano. Geralmente, refere-se mais especificamente à espécie Crotalus durissos, cuja área de distribuição se estende do México à Argentina. A cascavel, por razões não bem entendidas, em vez de sair completamente de sua pele antiga, mantém parte dela enrolada na cauda em forma de um anel cinzento grosseiro. Com o correr dos anos, estes pedaços de epiderme ressecados formam os guizos que, quando o animal vibra a cauda, balançam e causam o ruído característico. Embora no conceito popular o número de anéis do guizo às vezes é interpretado como correspondente à idade desta cobra, isto não é correto, pois no máximo poderia indicar o número de trocas de pele. A finalidade do som produzido pelo guizo é de advertir a sua presença e espantar os animais de grande porte que lhe poderiam fazer mal. É uma ótima possibilidade de evitar o confronto."




Observe: a pessoa que está manuseando o animal na foto trata-se de um biólogo com experiência, portanto, se você tem coragem mas não tem a técnica não ponha sua vida em risco. O veneno da Cascavel pode ser letal ou trazer complicações para o resto da vida. Porém assim como pode matar, também pode salvar vidas como matéria prima no tratamento de várias doenças. Sendo assim preserve-a.

Nenhum comentário:

Postar um comentário